A bebida queridinha dos brasileiros, o Café


Coado ou espresso? Forte ou fraco? Não importa, tomar um cafezinho é hábito do dia a dia. Para você que é amante da bebida preparamos um roteiro com curiosidades sobre a bebida.

História

Não há evidência real sobre a origem da bebida, mas, de acordo com informações da Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), a lenda mais aceita é que o grão foi descoberto pelo pastor Kaldi, que viveu na Absínia, hoje Etiópia, há cerca de mil anos.

Kaldi teria observado que as cabras de seu rebanho ficavam agitadas e cheias de energia sempre que comiam as frutinhas de coloração amarelo-avermelhada dos arbustos.

O jovem comentou o assunto com um monge, que resolveu utilizar os frutos na forma de infusão, percebendo que a bebida o deixou mais bem-disposto. Mas foi a Arábia a responsável pela propagação da cultura do café preparado com água fervente.

O nome café não é originário da Kaffa, local de origem da planta, e sim da palavra árabe “qahwa”, que significa vinho. Por esse motivo, o café era conhecido como “vinho da Arábia” quando chegou à Europa no século XIV.

Diferentes tipos de grãos

O café possui inúmeras características e pode ser suave, forte, extraforte, descafeinado, orgânico, entre outros. As espécies mais cultivadas no mundo são a arábica e a robusta.

Café coado 

A possibilidade de fazer seu próprio expresso tem, sim, atraído os brasileiros. Mas o bom e velho café coado ainda reina soberano por aqui.

Segundo a ABIC, 80% dos cafezinhos são preparados com coador de pano, filtro de papel ou cafeteira elétrica. Esta é a forma mais tradicional de se preparar o café.

Em alguns lugares do interior as pessoas ainda fazem o café assim: colocam o pó direto na água já quente e, depois, passam a mistura pelo coador. Os mais tradicionais colocam o café em um bule.

Benefícios

A bebida não é apenas composta de cafeína. O café também é rico em sais minerais, como ferro, zinco, potássio, magnésio, vitamina B, além de antioxidantes naturais que auxiliam no combate à celulite.

Pesquisas realizadas pela Universidade de Scranton (EUA) mostram que ingerir a bebida diariamente reduz o risco de diabetes tipo 2, Mal de Alzheimer e câncer de próstata.

Dados de consumo

Se você não dispensa um cafezinho ao acordar ou depois do almoço, você não está sozinho. O consumo do café no Brasil tem crescido ano a ano e, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 79% das pessoas tomam a bebida.

Em média, cada brasileiro toma quatro xícaras por dia. E você, já tomou quantos cafezinhos hoje?

Fonte: mdemulher.abril.com.br