Desvendando os nomes dos molhos


Conheça os mais tradicionais molhos para massas e saiba as melhores combinações a fazer ao preparar cada um deles

Eles dão o toque final de aparência e sabor em qualquer massa. Criados e desenvolvidos há centenas de anos em muitos casos, os molhos são a chave do sucesso de uma receita. Conheça agora o que compõe cada um deles, onde eles nasceram e, o mais importante, quais massas vão bem com cada tipo de molho tradicional. As dicas são da chef e jornalista especializada em gastronomia Fabiana Badra Eid.

Bolonhesa
O molho criado em Bolonha, Itália, é feito à base de tomates e carne ¿ na maioria das vezes, carne bovina moída. Na Itália, o molho bolonhesa é feito também com carne de porco. O importante é que ele deve sempre acompanhar, preferencialmente, massas longas, como o tradicionalíssimo espaguete ou talharim, ou médias, como o rigatoni. Queijo parmesão ralado ou fatiado acompanha deliciosamente o bolonhesa.

Pesto
Dá-se nome de pesto a um molho criado na região de Gênova, no norte italiano. Forte, o pesto tradicional é feito de manjericão macerado com azeite e adicionado de alho, sal e pinolis (semente mediterrânea da família do pinhão). O pesto ficou muito em moda há cerca de 10 anos e ganhou novas versões, feitas com rúcula ou nozes em lugar do manjericão e do pinoli (e, em algumas regiões da Itália, o azeite também é substituído por manteiga).

O pesto é melhor aproveitado em pequenas quantidades dando sabor a massas como o nhoque, o fusili (macarrão parafuso) e outras massas curtas. Sempre acompanhado de queijo parmesão por cima.

Alfredo
Não é a toa que o molho Alfredo é famoso no Brasil: aqui mesmo é que ele foi criado ¿ em 1914, pelo chef italiano Alfredo di Lelio. Alfredo teria inventado o prato para a esposa, quando ela deu à luz e se desinteressou por comida (fato que foi curado com a deliciosa criação do marido).

Na Itália, não existe molho Alfredo; por lá, basta pedir a massa al burro para recebê-la com esse molho branco à base de manteiga, creme de leite fresco, queijo e uma pitada de noz moscada. O molho Alfredo é o parceiro perfeito para o fettuccine (com o qual ele se tornou célebre, aliás).

Funghi
Muito saboroso, o molho ao funghi também é um hit italiano em terras brasileiras. Para prepará-lo, é ideal usar o cogumelo seco italiano (hidratado em água morna por 20 minutos antes do preparo). Depois, o funghi é adicionado à mistura de bacon frito, azeite ou manteiga, creme de leite fresco e sal. Fica realmente incrível usar esse molho com massas longas ou médias, como linguine ou penne.

Carbonara
O nome deriva de carbone, que em italiano significa carvão (pois o prato seria muito apreciado pelos trabalhadores de carvoarias na região italiana da Úmbria). A receita tradicional diz que o carbonara leva queijo (normalmente parmesão ou pecorino), toucinho picado, ovos, pimenta e azeite. Algumas vezes, ervilhas são adicionadas a ele que fica perfeito com massas longas e finas, como os espaguetinis e o cabelo de anjo.

 

Fonte: receitas.ig.com.br